Stays Entrevista: como funciona a Expedia para o aluguel de temporada?

Com mais de 6 milhões de visitantes a cada mês, a Expedia, um dos maiores sites de viagens do mundo, vem se consolidando também no aluguel de temporada. Esse é só mais um dos sinais que a gigante vem dando na direção desse segmento e é por isso que estamos de perto acompanhando esse que pode ser um canal interessante para diversificar a divulgação de imóveis de temporada.

A Expedia garante visibilidade global em mais de 200 sites de reservas de viagem que estão disponíveis em mais de 75 países e em 35 idiomas. Consequentemente, há a atração dos mais variados perfis de viajantes – e não só aqueles que estão habituados a hotéis, vale a pena mencionar. Os canais promocionais incluem desde ofertas corporativas até anúncios para dispositivos móveis. Na ponta, há a possibilidade de maximizar a receita.

Para você entender como funciona a Expedia, a Stays conversou com Humberto Bifani, Area Manager da empresa no Brasil. Veja:

 

1. Uma pessoa física pode fazer um anúncio na Expedia?

Sim. Atualmente há entre 3 a 4 mil vacation rentals ativos, que é como a Expedia chama os parceiros do aluguel de temporada. Entre eles, pessoas físicas que têm um ou vários imóveis disponíveis para alugar por curtos períodos de tempo. Não há, portanto, a necessidade de ter ou ser um CNPJ para anunciar um imóvel nesta online travel agency (OTA).

Mas é válido destacar que, além do proprietário, administradores de imóveis de temporada (que comumente estão inscritos como microempreendedores individuais, os MEIs) e corretoras de imóveis (que aí sim são empresas constituídas e têm CNPJ) também podem contar com esse tipo de visibilidade para os seus negócios. Nesse sentido, há espaço para todos os perfis.

 

2. E como é feito o anúncio na Expedia?

É bastante simples dar início ao processo de anúncio na Expedia – seja de uma casa ou apartamento. Nesse espaço, o anunciante é convidado a disponibilizar todo o tipo de informação do estabelecimento: nome (como o imóvel será divulgado e promovido para o público), endereço, cidade, região ou Estado, código postal, país, moeda, classificação por estrelas, número de quartos, site e tipo de estabelecimento. É possível escolher entre várias classificações: estabelecimento de agroturismo, tudo incluído, apartamento, apart-hotel, bed and breakfast, cabana, camping para trailers, castelo, chalé, condo, resort em condomínio, casa de campo, chácara, cruzeiro, guesthouse, pousada (que a Expedia classifica como hotel econômico), albergue, hotel e casa flutuante.

Depois de selecionar a melhor opção para o seu imóvel, é chegado o momento de você dar mais informações sobre si mesmo ou sobre a pessoa que ficará responsável pelo anúncio na Expedia. São necessários nome, sobrenome, e-mail, função e telefone – para que a Expedia possa entrar em contato no horário que ficar melhor para você. Isso serve para que a veracidade da propriedade seja validada.

Posteriormente, você deverá alimentar o anúncio na Expedia com mais informações e, principalmente, fotos. Esse aspecto é fortemente indicado por Humberto, que garante que parceiros que têm melhores são resultados são aqueles investem em imagens que valorizem a propriedade.

 

3. Há algum custo para isso?

Não há nenhum custo envolvido no processo de anúncio na Expedia. Nem mesmo para utilizar ferramentas capazes de aumentar a receita do seu negócio, tais como a funcionalidade de precificação. Por meio desse tipo de ação, é possível identificar o melhor valor a ser cobrado por uma diária a um viajante em determinado período do tempo, que são os conceitos de revenue management que já explicamos neste post.

 

4. Como funciona na Expedia o recebimento pelos aluguéis?

Há dois modelos de parceria vigentes na Expedia. No primeiro deles, o parceiro pode optar por somente ele receber o pagamento pelo imóvel. Já no segundo, o hóspede decide como vai pagar: tanto diretamente ao dono do imóvel, como pré-pagar no site da Expedia. Neste último, é possível parcelar em até 12 vezes sem juros.

 

5. Quais são os benefícios de integrar o inventário da Expedia?

Ao se tornar parceiro da Expedia, há a possibilidade de também passar a integrar outras marcas do grupo, como Hoteis.com, Hotwire e Trivago. Essas são negociações feitas pelos canais de distribuição do grupo Expedia, que conta com um segmento B2B onde outras empresas de hospedagens e de viagens têm acesso ao inventário. Não há nenhum vínculo contratual com essa distribuição, mas o parceiro pode trabalhar com essa possibilidade de ter seu produto distribuído para outros canais.

 

6. É possível ter mais reservas ainda nos primeiros meses?

Sim. A parceria com os canais de distribuição envolve alguns itens. Para quem está começando, um dos principais é trabalhar bem o conteúdo (com informações e imagens do imóvel) para mostrar ao viajante qual é o diferencial daquela propriedade e o que há para entregar. Assim, há o primeiro destaque nos canais.

Depois, é essencial fazer uma gestão de disponibilidade e de tarifas de maneira interessante para ter resultados logo no início das operações. Humberto defende que, quando se pensa em distribuição, viajantes internacionais também devem ser lembrados. Os europeus, por exemplo, costumam planejar-se com antecedência e, portanto, seu imóvel precisa aparecer como disponível para daqui um ano, assim como o aéreo, se você deseja atingir esse público.

 

7. A Expedia também anuncia hotéis. O aluguel de temporada não sai prejudicado nessa disputa?

Em todos os pontos de venda do grupo Expedia, ou seja, em todas as OTAs, é possível utilizar filtros de busca capazes de segmentar a procura por determinado imóvel. Tanto pelo aplicativo, quanto pelo desktop. A ideia é entregar exatamente o que o público procura.

Nesse sentido, o viajante pode selecionar a opção de “aluguel de temporada” ou “apartamento” ou ainda “casa em condomínio” quando estiver procurando hospedagem em determinada cidade. Caso os filtros não sejam utilizados, os vacations rentals aparecerão juntamente a outros tipos de propriedade, tais como hotéis e as demais classificações listadas acima.

 

8. Como os proprietários de aluguel de temporada podem diferenciar-se?

A partir de uma experiência positiva é possível diferenciar-se perante qualquer outro produto anunciado na mesma OTA. Para isso, os proprietários devem oferecer uma estadia pelo menos satisfatória a fim de que outras pessoas sejam influenciadas. A tecnologia, na visão de Humberto, tem papel fundamental nisso, porque facilita a gestão da experiência do hóspede.

Um exemplo bastante claro consiste na possibilidade de o proprietário interagir antes e depois com o hóspede a partir de canais de comunicação próprios (Expedia Partner Central, que é a extranet da Expedia), que oferecem desde um chat até a possibilidade de uma avaliação a respeito do check-in. Assim, se as boas-vindas não tiverem agradado o viajante, é possível tentar reverter a experiência ao longo da estadia.

Ainda nessa ferramenta, a EPC, os proprietários podem ter acesso a ferramentas de revenue management (RevPlus), destaques de conteúdo (carregar quantas fotos quiser em alta definição), distribuição em múltiplos parceiros na área B2B e por aí vai. A ideia é entregar a melhor experiência por meio de atendimento com base na tecnologia para garantir melhor rentabilidade.

 

9. O que os viajantes que visitam a Expedia procuram no aluguel de temporada?

Com base nas pesquisas de mercado que a Expedia promove, participa e consulta, comodidade e segurança são os aspectos mais valorizados por viajantes que se hospedam em propriedades alugadas por temporada. Nesse sentido, o site oferece uma funcionalidade que pode ser fundamental, que são os comentários certificados. Quem se hospedou em algum imóvel, é convidado a deixar uma nota e um comentário. Na busca, é possível identificar as opções melhores ranqueadas nesses quesitos, o que facilita para o cliente esse filtro inicial, uma vez que ele ainda não conhece o destino que ele está indo.

 

10. Pode ter o anúncio de um mesmo imóvel de aluguel de temporada em dois canais diferentes? O preço cobrado tem de ser o mesmo nas duas plataformas?

O proprietário pode e deve manter anúncios simultâneos de uma mesma propriedade. Diferentemente de algumas outras OTAs, a Expedia não tem uma política de paridade tarifária vigente nos acordos de parceria, que não tem prazo mínimo, nem máximo de permanência. Porque entende que esse aspecto vem mudando ao longo dos anos e, inclusive, já é proibida em alguns países. A ideia é que todos os parceiros tenham preços competitivos, e que tenham uma gestão de receitas da melhor maneira que lhes convenham.

 

11. Mas aí a gestão de anúncios não vai ser prejudicada?

Para Humberto, esse aspecto pode ser resolvido a partir de ferramentas de tecnologia, como um channel manager ou um PMS, que otimizam receita e trabalho. A ideia é que se conte com auxílio para gerenciar não só a distribuição pelos canais, com destaque para o próprio produto, mas também a parte da experiência do cliente. Ter disponibilidade em todos os canais e trabalhar uma gestão de receita baseada em demanda são itens que um channel manager pode ajudar a entregar, além de uma experiência positiva dentro da hospedagem, em que se possa controlar a limpeza do apartamento mais facilmente, por exemplo. Contratar um serviço turístico do destino ou um aluguel de bike ou passeio são outras opções que extrapolam a compra da hospedagem e podem ser controladas por esse tipo de solução.

 

12. Em caso de problema ou dúvida, há suporte no Brasil?

Sim, a Expedia conta com uma equipe atuando no país. São três escritórios distribuídos pelo país: em São Paulo (central), no Rio de Janeiro e em Recife. Ainda há um 0800 que atende em português. E uma equipe de gestão de parceria capaz de ajudar na otimização das distribuição pelos canais de venda em vários níveis, desde problemas com anúncios até com hóspedes.

 

Você possui outras dúvidas sobre como funciona a Expedia? Escreva abaixo e nós vamos te responder. Se quiser conhecer todos os sites de temporada que recomendamos, você pode baixar o Guia de sites para anunciar Aluguel de Temporada.

David Cavalcanti

Sales Manager na Stays, David é pós graduado em Marketing, formado em Publicidade e Propaganda e especialista em aluguel de temporada. Com mais de 11 anos no mercado de aluguel de temporada, possui muita vivência e experiência profissional nas áreas de vendas, comercial, marketing, e gestão de equipes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode se interessar:

temporadalivre2 1
Entrevista
David Cavalcanti

Temporada Livre: stays entrevista site brasileiro de anúncios de imóveis por temporada

Você sabia que existe uma Online Travel Agency (OTA) que nasceu no Brasil e é totalmente voltada ao mercado nacional de locação de curta duração? Estamos falando do Temporada Livre, um portal nacional de aluguel que surgiu em 2011, tem mais de 11 mil imóveis anunciados e 4 milhões de visitantes ao mês. Recentemente, o canal foi integrado ao Sistema Stays, tornando-se mais uma opção de “vitrine” para proprietários e administradores do aluguel de temporada que usam a tecnologia all-in-one.

Leia mais »
Entrevista
Sven dos Santos

Estudo de Caso Sampa Housing: Como crescer no Mercado de Aluguel de Temporada

Há seis anos, um casal de empreendedores de São Paulo resolveu mobiliar, anunciar e alugar apartamentos pela internet. O público-alvo era formado por estrangeiros que chegavam ao Brasil para trabalhar, estudar ou tocar um projeto por um determinado período – algo bastante comum no Brasil de 2010, com a economia em franco crescimento – e precisavam de um serviço mais personalizado.

Leia mais »